de_forma's Blog

Daqui e de lá,mas sem o meio. June 12, 2011

Filed under: Pessoal — deforma @ 9:41 pm
Tags: , ,

A rotina é algo que me incomoda profundamente,e diria que mais ainda do que a própria rotina é a previsibilidade.Acordar logo de manhã se já ter mais da metade do dia previsto é a pior coisa que pode-me acontecer.
A culpa disto é só minha,e não me venham dizer de consolo que o mesmo acontece com todas as pessoas porque isto não cola.
Esta previsibilidade virou uma obsessão na minha vida há já algum tempo e em tudo que tenho tido participação na minha vida tenho sempre tentado lutar contra ela,incluindo-se ai a carreira,diálogos do dia a dia,situações que me envolvem…
No fundo é uma cobrança pela superação do estar vivo que acarreta também um outro lado de um pouco de insatisfação mas que não é o caso de se falar disso aqui e hoje.
Sim,mas o previsível.
Falemos do não previsível,quem vem de lá e não é culpa minha direta.Uma atitude que muda tudo num determinado dia e deixa este curso do rio tão sempre igual com outro sentido.É a atitude que brilha (queria fugir de metáforas,entendam do ponto de vista literal) de uma maneira que foge de querer ter algum significado no texto;é muito mais do que uma decodificação.
É neste momento exato em que passamos a interpretar o “rubro” do dia por palavras e pelo que conhecemos que o mesmo passa a perder o brilho.Colocamos as nossas frustrações,expectativas e o pior:tentamos entender pela lógica o que aquilo queria dizer.
Não tem um significado universal,e eu poderei fazer milhões de teorias para tentar entender mas só me faria perder tempo e fazer com que ele deixe de brilhar.Do outro lado veio por algum motivo positivo,que tem uma codificação no texto na língua de lá,mas que não necessariamente é a mesma que eu teria se ficasse nas teorias de 1 milhão de páginas.Nem precisa de ser ai está.
O meio serve para quê nisto tudo se ele nem existe?
A real é que gostaria que o brilho brilhasse ainda mais,e em outras cores,e com cheiros,com narrativas,que se revelasse mais do lado de cá.Desta maneira talvez eu pudesse dizer que há um meio,ou melhor dizendo uma aglutinação muito boa de sei lá eu o quê.Daqui,de lá,de acolá já não importaria mais.Importaria esta terceira coisa que se criou e não preciso de descrevê-la,só de sentir.

Advertisements
 

 
%d bloggers like this: